terça-feira, 20 de abril de 2021

Construção de Via Sacra na ladeira da Capelinha é pauta na Câmara de Bonito

A Casa Leônidas Vila Nova realizou na noite da quinta-feira (15)  mais uma sessão ordinária. Na ocasião, Paulinho de Devá (PSB), Presidente da Câmara de Vereadores de Bonito/PE, apresentou o requerimento de nº 99/2021 que solicita ao Chefe do executivo local, o prefeito Gustavo Adolfo (PSB), extensivo às secretarias de Obras e Turismo a construção de uma Via Sacra na Av. Professor Dimas de Albuquerque Cesar, no acesso à Capela de Nossa Senhora do Monte Serrat e base superior do teleférico Governador Eduardo Campos, grande atrativo turístico já consolidado desde 2018, a fim de alavancar também o Turismo Religioso no município.

Segundo Paulinho de Devá “a iniciativa irá incentivar o desenvolvimento do Turismo Religioso no município que já consta de importantes igrejas e capelas além do Alto do Monte Cristo, em Alto Bonito. Investir nesse segmento além de alimentar a fé da população católica movimenta a cadeia turística como hospedagem, alimentação e artesanato, lojas de souvenirs religiosos que encrementariam a receita da Paróquia. Segundo o Ministério do Turismo – MTur, há no Brasil um movimento de 4,4 bilhões de dólares decorrentes de 20 milhões de viagens por ano, motivadas pela fé. O turismo movido pela fé também leva o visitante a conhecer outros atrativos, beneficiando o entorno do destino principal”.

O edil explanou ainda sobre a possibilidade da criação do Passeio das Sete Dores de Maria ao lado da Igreja Matriz, onde exite a gruta, na mesma avenida, complementando ainda mais o roteiro religioso do município.

Esses projetos religiosos representam um desejo antigo da comunidade católica local inclusive encabeçada pelo antigo pároco, Monsenhor Miguel com o qual Paulinho de Devá já havia realizado reuniões e visitas técnicas, em legislaturas passadas.  

Todos os parlamentares aprovaram o requerimento. Muitos  subscreveram e se colocaram a disposição para estreitar o diálogo com o Executivo bem como com o novo pároco local, Padre Erandi Torres.

sexta-feira, 9 de abril de 2021

Popular morre vitima de acidente na PE-103

A população de Bonito ficou em choque com a notícia de um acidente de carro onde se encontrava duas populares do município. A professora Edwina Godoy e a popular Josefa Olivia, conhecida por Finha. O acidente ocorreu na Rodovia Dep. Ribeiro Godoy (PE-103), na entrada de Camocim de São Félix, no sentido Bezerros/Bonito.

A condutora do veículo, Angélica Godoy, Filha de uma das vítimas, não se feriu. Já Edwina e Josefa foram socorridas pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência- SAMU e levadas para o Hospital Regional do Agreste - HRA, em Caruaru.

As duas vítimas passaram por cirurgias. A Professora Edwina ficou internada na Unidade de Terapia Intensiva - UTI. Olivia passou por procedimento cirúrgico, porém, não resistiu e faleceu na sala de recuperação após esperar por uma vaga de UTI.

Josefa Olívia Da Silva tinha a idade de 43 Anos, era popularmente conhecida em Bonito por Finha. Olivia era mãe de do professor da Vandahlin, e tinha mais dois filhos: Valdeir e Valdemir, era casada com Vanilton, popular no bairro da Cachoeira e filha de Dona Iraci que trabalhou no Hospital Regional Dr. Alberto d'Oliveira.

Homicídio na zona rural de Bonito


Um homem foi assassinado a tiros na manhã desta quinta-feira (08), no Engenho Serro Azul, na zona rural de Bonito. Carlos Alberto Ferreira, de 23 anos, foi encontrado morto com várias perfurações á bala. Ele era acusado de ter cometidos dois assassinatos na comunidade, inclusive o último deles foi cometido no fim de semana passado.

Além dessa acusação do crime ocorrido no fim se semana o jovem também era acusado de ter cometido outro homicídio no ano passado e coincidentemente costumava a beber com os dois rapazes que foi acusado de mata-los.

O corpo de Carlos  Alberto foi encaminhado para o IML de Caruaru.


Com informações do Blog do Adielson Galvão 

domingo, 4 de abril de 2021

Vereador Eiji realiza ação de Páscoa

O vereador Eiji Murimura (PSD), realizou uma ação de Páscoa para distribuição de ovos de chocolate e brindes. 

A ação foi realizada nas comunidades rurais da Colônia,  Riacho Escuro, Sabino e Ferrão, além do Bairro do Arlindo Cavalcanti e na comunidade de São Vicente de Paula, por trás do Hospital. 






sexta-feira, 2 de abril de 2021

Paulinho de Devá realiza distribuição de peixes no Estreito do Norte e Sítio Carrilho

O atual presidente da Câmara Municipal de Vereadores do Bonito/PE, vereador Paulinho de Devá, esteve em Estreito do Norte entregando peixes para famílias carentes residentes nos bairros Mutirão I e II do Estreito do Norte e entregou ao presidente da Associação do Sítio Carrilho, Lenildo, para distribuição também naquela localidade. Ao todo foram atendidas mais de setenta famílias do município. 

Para Paulinho de Devá "é uma grande satisfação poder ajudar os mais carentes do município. Colaborando para que o tradicional peixe da Semana Santa seja partilhado com dignidade por todos"





José Milton Barbosa: Um bonitense torturado e morto durante o regime militar

Foi durante a ditadura militar (1964 a 1985) que as maiores atrocidades foram cometidas contra os que se opunham ao regime. Neste período os estudantes, os intelectuais, os engajados políticos, foram as principais vítimas do sistema que contestavam. Uma dessas vítimas do regime militar foi o bonitense, José Milton Barbosa.

José Milton Barbosa era dirigente da Ação Libertadora Nacional (ALN). Nasceu, em 22 de outubro de 1939, na região do Rodeadouro, em Bonito, Pernambuco. Filho e Maria das Dores de Paulo. Era sargento radiotelegrafista do Exército, formado pela Escola de Sargento das Armas, sendo cassado em 1964, com o golpe militar. Até fevereiro de 1969, era funcionário da SUNAB.

Em 1967, ingressou no curso de Economia da antiga UEG, atual UERJ, estudando até o 3º ano, quando por suas atividades políticas, foi forçado a entrar na clandestinidade, em 1969. Foi militante do PCB, do PCBR, do MR-8 e, por fim, da ALN, da qual se tornou dirigente regional.

Condenado, à revelia, pela 1ª Auditoria do Exército, em 14 de abril de 1972, à prisão perpétua. Pena esta que, em 30 de agosto de 1972 (quando já estava morto), caiu para 20 anos de reclusão. Teve seus direitos políticos cassados por 10 anos. Também foi condenado pela 2ª Auditoria da Aeronáutica - 1ª CIM à pena de 12 anos de reclusão. Assassinado em 5 de dezembro de 1971, pela repressão política no bairro do Sumaré, São Paulo.

Apesar de plenamente identificado, sendo sua morte inclusive noticiada pela imprensa através de nota oficial dos órgãos de segurança, o corpo de José Milton foi enterrado sob nome falso de Hélio José da Silva no Cemitério Dom Bosco, em Perús, São Paulo.

O laudo necroscópico, com nome falso foi assinado pelos médicos legistas Antônio Dácio Franco do Amaral e José Henrique da Fonseca que confirmam a morte em tiroteio nas Ruas Tácito de Almeida com Cardoso de Almeida, em São Paulo.


Livro: Dossiê dos Mortos e Desaparecidos Políticos a partir de 1964
Miguel Arraes de Alencar

Para acessar postagens mais antigas clique aqui

Para acessar postagens mais antigas clique aqui